O molde da glória divina

Meu parceiro de café nos últimos dias tem sido o livro “Lendo a Bíblia de modo sobrenatural”, escrito por John Piper.

Destaco apenas um trecho logo a seguir onde Piper argumenta sobre “o molde da glória divina” para encorajar você também à leitura desse livro e sobre o que é ler a Bíblia de modo sobrenatural.

“(…) Ter ´conhecimento de Deus´, em Romanos 1:21, inclui esta experiência de coração, mais profunda, referida em Romanos 2:15. A analogia que acho proveitosa é pensar no conhecimento inato de Deus e de sua vontade como um tipo de molde no coração humano. Este molde é criado por Deus em cada coração humano com uma forma que corresponde à glória de Deus. Em outras palavras, se a glória de Deus fosse vista com os olhos do coração, se encaixaria tão perfeitamente no molde que saberíamos que a glória é real. Saberíamos que fomos feitos para isto.

Portanto, quando Paulo diz que todos os humanos têm ´conhecimento de Deus´ ou que todos os humanos têm a norma da lei ´gravada no seu coração´, ele quer dizer que há um molde na forma de glória em cada coração esperando receber a glória de Deus. Todos temos ´conhecimento de Deus´ no sentido de que temos este testemunho em nosso coração, porque fomos feitos para esta glória. Há uma expectativa e aspiração latente, e a forma dela está inserida no profundo de nossa alma.

A razão por que não vemos a glória de Deus não é que o molde é defeituoso nem que a glória de Deus não está resplandecendo. A razão é ´dureza do coração´ (Ef. 4:18). Esta dureza é uma profunda aversão a Deus e um correspondente amor à autoexaltação. Paulo disse que a mentalidade da carne é inimizade contra Deus (Rm. 8:7). E Jesus disse que ´a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz´ (Jo. 3:19). Nosso problema não é que nos falta a luz, e sim que amamos as trevas. Esta é a dureza de nosso coração.

Assim, em minha analogia do molde, isto significa que o molde, o qual foi perfeitamente formado para a plena satisfação na glória de Deus, está abarrotado de amor por outras coisas. Por isso, quando a glória de Deus brilha no coração – a partir da criação, da encarnação de Jesus ou pelo evangelho – não acha lugar ali. Não é sentida nem percebida como apropriada. Para a mente natural – a mente cujo molde formado para a glória está lotado de ídolos – a glória de Deus é ´loucura´ (1 Co. 2:14). Não se encaixa ali. Como Jesus disse às pessoas de coração endurecido que desejavam matá-lo: ´Procurais matar-me, porque a minha palavra não está em vós´ (Jo. 8:37). É claro, elas podiam raciocinar e lembrar as palavras de Jesus. Mas não podiam vê-las como gloriosas e convincentemente belas. Ouviram as palavras, mas não as amaram. Estas pessoas amavam as trevas que enchiam o molde projetado para o resplendor da glória de Deus.”

PIPER, John. Lendo a Bíblia de modo sobrenatural: provando e vendo a glória de Deus nas Escrituras. Editora Fiel. pp.26-28.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s